Quarta-feira, 12 de Março de 2008

Quer pagar poucos impostos? Emigre para o México

Benjamin Franklin, um dos líderes da Revolução Americana, disse que "nada é certo na vida, excepto a morte e os impostos". Contudo, em alguns países, os impostos são mais certos que noutros. Ou, pelo menos, mais pesados.
Portugal a meio da tabela das contribuições para o fisco e para a Segurança SocialFelizmente, ao contrário do que se possa pensar, Portugal está entre os que menos cobra IRS e contribuições para a Segurança Social. Segundo um estudo da OCDE, os portugueses de rendimento médio perdem 22,54 por cento do seu vencimento, quando a média dos 30 países da organização é de 26,64 por cento. Os alemães são os que mais pagam: cerca de 43 por cento dos rendimentos vão para os cofres estatais, metade do qual para a Segurança Social. Porém, são os polacos que mais contribuem para a Segurança Social, cerca de um quarto dos ganhos, enquanto os australianos não chegam a contribuir.
Além de se ganhar mais em Espanha, as responsabilidades de nuestros hermanos são bem mais brandas, pouco ultrapassando os 20 por cento. Contudo, se quer um regime realmente leve tem de emigrar para o México: o IRS e a Segurança Social levar-lhe-iam 5,25 por cento dos rendimentos. David Almas
2 comentários:
De Anónimo a 13 de Março de 2008 às 15:01

A questão aqui é que o ordenado médio em Portugal é diferente dos restantes países comparados.

Dever-se-ía comparar o rendimento disponível face ao custo de vida.

Retirar 40% de 4000 Euros não é o mesmo que retirar 40% de 800 Euros. Daí a 'lógica de em serem praticadas taxas diferentes, mais reduzidas em Portugal do que em países com rendimentos superiores..

Uma comparação um pouco leviana, que poderá levar a suposições erradas.


Outro erro frequentemente apresentado é relativo ao número de funcionários públicos em diversos países. Neste campo compara-se realidades muito diferentes. Ou seja, enquanto em Portugal um professor é considerado FP, noutros países, apenas militares, polícias e pessoal diplomata assim são considerados.

Os números querem-se compreendidos e não apenas lidos!
De Carteira.pt a 13 de Março de 2008 às 16:58
A comparação leviana é da própria OCDE. A Carteira fez o que muitos outras publicações fizeram, como "The Economist": http://www.economist.com/daily/chartgallery/displaystory.cfm?story_id=10835581
A "lógica" explica porque é que na Polónia se paga quase 25% de Segurança Social e na Austrália a contribuição é nicles? Não nos parece: as diferenças prendem-se mais a razões culturais e macroeconómicas.

Comentar post

Pesquisa Carteira

Arquivos

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags