Quinta-feira, 10 de Abril de 2008

Pedir dinheiro emprestado para investir é mau negócio

Quando utilizado com conta, peso e medida, o crédito revela-se numa ferramenta bastante útil na gestão de um orçamento. É o caso da compra da casa e do carro através de empréstimos, que de outra forma seria quase impossível para a maioria dos bolsos das famílias portuguesas. O problema é quando o crédito se estende à compra de bens de consumo capazes de proporcionar momentaneamente um nível de vida em nada suportável à capacidade financeira e, pior, quando o dinheiro do banco é utilizado para investir. Nestes casos, a utilização do dinheiro alheio tem as mesmas consequências que brincar com o fogo durante uma tempestade: é mais provável que se venha a queimar do que se consiga aquecer. É o exemplo das linhas de crédito de Conta Margem do Banco Big e do Banco Best e o CrediBolsa do ActivoBank 7, que possibilitam a alavancagem dos seus investimentos tomando como garantia os activos do portefólio actual. Ou seja, os bancos ficam com os seus fundos de investimento, depósitos e acções como colateral e em troca disponibilizam uma linha de crédito com uma taxa de juro indexada à Euribor, mais um prémio que pode ir além dos 2 por cento.
Se à primeira vista estes produtos parecem uma oportunidade a não perder, sobretudo quando a liquidez falta e as oportunidades estão à mão de semear e prestes a fugir, depois de se fazer algumas contas a conclusão a que se chega é outra: contraindo hoje um crédito com uma alavancagem no valor de 2 vezes o montante de capitais próprios com uma taxa de juro igual à Euribor a 6 meses e com um spread de 1,5 por cento, o investidor só gera riqueza quando a sua carteira ganha mais de 5 por cento por ano. Mas quando o mercado segue no sentido simétrico, o resultado é desastroso: uma perda de 27 por cento. Significa que o efeito da "alavanca" é claramente desigual, pesando brutalmente nas contas do investidor quando o mercado cai e em nada proporcional à alavancagem quando o mercado sobe. Por isso, se não quer entrar nas contas do estudo da consultora Watson Wyatt, que aponta para que a próxima crise venha a ocorrer por um excessivo recurso à dívida nos investimentos, invista sempre apenas com o seu dinheiro. Luís Leitão

Sai caro investir com dinheiro dos outros
Quando o mercado sobe, os ganhos não são proporcionais à alavancagem e, em caso de perda, o efeito é total e agravado pelos juros
Rendibilidade esperadas Sem crédito Com crédito 2x
-15% -15% -57%
-10% -10% -42%
-5% -5% -27%
0% 0% -12%
5% 5% 3%
10% 10% 18%
15% 15% 33%
Simulação para um empréstimo de 2 vezes o valor dos capitais próprios com base na Euribor a 6 meses de 9 de Abril de 4,757 por cento mais um prémio de 1,5 por cento

Pesquisa Carteira

Arquivos

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags