Quinta-feira, 15 de Maio de 2008

OPA da Microsoft sobre a Yahoo renasce das cinzas

Fénix. Foto: Guacamole GoalieQuando toda a gente pensava que a junção da Microsoft e da Yahoo para combater o domínio do Google na publicidade online já era coisa do passado, o bilionário Carl Icahn resolveu dar um murro na mesa e reabrir a discussão. O espírito agitador do investidor de 72 anos é sobejamente conhecido em Wall Street e a sua posição de relevo na Yahoo dá-lhe força na reivindicação para o retomar das negociações com a gigante (ainda) liderada por Bill Gates. O segundo maior accionista individual da Yahoo ameaça até reforçar a sua posição, gastando quase 600 milhões de euros para se aproximar dos 7 por cento do capital da empresa.
Isto, numa altura crucial, já que vão haver eleições para a administração da Yahoo no próximo dia 3 de Julho. Carl Icahn já tem uma lista com 10 nomes pronta para avançar contra a actual administração – a mesma que rejeitou a oferta da Microsoft –, onde pontuam o detentor da equipa de basquetebol profissional norte-americana Dallas Mavericks e o ex-presidente da Viacom, estando a mexer-se no sentido de tomar o controlo da empresa.
Em declarações hoje proferidas, o bilionário que figura na lista dos 50 homens mais ricos do mundo em 2008 da revista Forbes, diz que a combinação da Yahoo e da Microsoft “é de longe o caminho mais sensível” para combater a hegemonia do Google, quer ao nível dos motores de busca (nos EUA, em cada 3 cliques de pesquisa na Internet, 2 são feitos via Google, enquanto a Yahoo tem um peso ligeiramente acima dos 20 por cento e a Microsoft não chega aos 10 por cento), quer em termos do mercado publicitário online, o qual deverá dobrar o actual valor para os 52 mil milhões de euros em apenas 2 anos.
Antes deste anúncio, Carl Icahn já tinha feito mossa noutras cotadas de Wall Street. Os exemplos mais ilustrativos foram o combate às administrações da Motorola e da farmacêutica ImClone Systems, forçando-as a venderem parte ou mesmo a totalidade dos activos de forma a fazer renascer as suas cotações bolsistas. Terá sucesso nesta nova investida? É esperar para ver. Uma coisa é certa, o “ataque” serviu, pelo menos, para animar a cotação de 2 das 3 empresas envolvidas na operação: a meio da sessão de hoje no outro lado do Atlântico (18h30 em Portugal), a Microsoft ganhava 1,5 por cento e o Google subia 0,6 por cento. Só mesmo a tecnológica que Carl Icahn pretende controlar é que não alinhava na brincadeira e recuava leves 1,5 por cento. Será que lhe vai sair o tiro pela culatra? Diogo Nunes

Google ainda se ri
Desde que Bill Gates anunciou a 1 de Fevereiro a OPA hostil sobre a Yahoo, a cotação das acções das duas empresas desceram enquanto que a Google valorizou 1,67%.
Empresas Preço Rendibilidade desde OPA
Google 376,14€ 1,67%
Microsoft 19,73€ -14,07%
Yahoo 18,01€ -17,33%
Fonte: Bloomberg. Rendibilidades em euros. 15 de Maio de 2008.

 

Pesquisa Carteira

Arquivos

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags