Segunda-feira, 30 de Junho de 2008

Invista como os milionários

Portefólio estimado dos milionários em 2009O ano passado não foi famoso para a generalidade dos mercados de referência mundiais, mas quem tem rios de dinheiro não sofreu muito com a crise. Pelo menos, a julgar pelo aumento de 9,4 por cento da riqueza concentrada nos "high net worth individuals" – indivíduos com activos líquidos de pelo menos 1 milhão de dólares (635 mil euros) excluindo a sua residência primária e consumíveis –, que ascende já a 25,8 biliões de euros. A conclusão é extraída da 12.ª edição do World Wealth Report, publicado pela Merrill Lynch e pela Capgemini, que avança com mais dados curiosos: o número de milionários aumentou 6 por cento a nível global para 10,1 milhões e a quantidade de multimilionários – indivíduos com activos líquidos de pelo menos 30 milhões de dólares (19 milhões de euros) excluindo a sua residência primária e consumíveis – cresceu 8,8 por cento. Em 2007, pela primeira vez, a média da riqueza dos milionários superou os 2,5 milhões de euros.
O estudo argumenta que o crescimento global permaneceu sólido no ano passado face aos 2 principais factores de geração de riqueza: taxa de crescimento real do PIB e capitalização de mercado. “Os ganhos económicos globais do primeiro semestre de 2007 alavancaram o crescimento mundial dos milionários, enquanto, no segundo semestre, as economias emergentes compensaram as que se encontravam em fase de abrandamento, designadamente as economias mais maduras”, refere o relatório da riqueza mundial. Recorde-se que a economia global cresceu 5,1 por cento em 2007, uma ligeira desaceleração face aos 5,3 por cento obtidos em 2006.
Onde é que estes seres altamente endinheirados investem? “Os ambientes macroeconómicos divergentes no início e no final de 2007 ajudaram os milionários a definir as suas estratégias de alocação de riqueza. Nos primeiros meses de 2007 investiram fortemente em activos com risco, com base no optimismo de 2006, mas acabaram por transferir os seus investimentos para activos mais seguros e menos voláteis”, sublinha o estudo.
Nota para o crescimento do investimento ambientalista, que se situou nos 74 biliões de euros graças à subida de 41 por cento desde 2005, com grande força da energia eólica e solar. O Médio Oriente e a Europa tiveram os milionários e os multimilionários mais ambientalmente sintonizados, com participações que vão desde os 17 por cento aos 21 por cento. Comparativamente, apenas 5 por cento dos milionários e 7 por cento dos multimilionários da América do Norte alocaram parte da sua carteira a investimentos em títulos de empresas que actuam na área das tecnologias limpas. Metade dos milionários em termos globais assumem que na base desta escolha está o elevado retorno financeiro. No que toca à distribuição geográfica, fica demonstrado que o dinheiro dos seres mais ricos do mundo está gradualmente a abandonar o continente norte-americano e a transferir-se para os mercados emergentes. A Europa e a Ásia-Pacífico mantêm-se estáveis e a África e a América Latina estão a ganhar terreno a olhos vistos.
Já sabe, mesmo que não seja nenhum Bill Gates, nem tenha um milhão para aplicar na bolsa, pode amealhar uns trocos e atirar-se de cabeça para o fabuloso mundo das energias renováveis. Boa parte da fortuna dos 10 milhões de homens e de mulheres mais ricos do Planeta já lá está. Diogo Nunes

Pesquisa Carteira

Arquivos

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags