Sexta-feira, 4 de Julho de 2008

Menos drama e mais acção

Pipocas. Foto: Darren Hester Hoje toda a gente faz filmes. Caseiros, de casamento, de aniversário, exibicionistas, não faltam possibilidades. Tanta é a vontade de aparecer e divulgar mensagens através de pequenos trechos em vídeo que a luta entre a Google e a Viacom, detentora da Paramount Motion Pictures, está na barra dos tribunais por causa de filmes alojados no famoso espaço YouTube.
Se o filme pessoal já é quase uma banalidade alcançar os resultados de grandes êxitos de bilheteira e de sucessos televisivos que perduram fica para os profissionais da indústria, principalmente para as empresas que dominam o circuito cinematográfico, como são a Sony, a News Corporation, a Walt Disney, a Time Warner e a Viacom.
Mais do que pensar em grandes estreias, os accionistas querem que as pipocas se transformem em lucros e que cada série televisiva traga muitas receitas. O problema é que depois da greve de argumentistas norte-americanos, é agora a vez dos actores quererem aumentar a sua participação nos lucros dos DVD e receberem alguma compensação pelas suas aparições na internet. As potenciais paragens podem aumentar os 2,1 mil milhões de dólares, estimados pelo Milken Institute, para as perdas da indústria com a greve dos argumentistas.
Se este pode estar a ser um período conturbado para Hollywood, os analistas das casas de investimento que acompanham as empresas dos principais estúdios cinematográficos acreditam que as histórias das fábricas de sonhos vão ter mais acção e menos drama. Depois das quedas entre os 20 e os 40 por cento, com a Viacom a bater no valor mais baixo do último ano, os grandes nomes das séries televisivas e do cinema continuam a merecer a confiança dos especialistas que são quase unânimes na recomendação de compra da australiana News Corp de Rupert Murdoch e acreditam que a Time Warner está a cotar a metade do seu valor justo. Nuno Alexandre Silva

 

Lucros no grande ecrã
Empresa Estúdio Potencial de valorização Bolsa
News Corporation 20th Century Fox 82% Nova Iorque
Viacom Paramount Pictures 54% Nova Iorque
Time Warner Warner Bros. Pictures 52%

Nova Iorque

Sony Columbia Pictures 29% Nova Iorque
Walt Disney Walt Disney/Touchstone 25% Nova Iorque
Fonte: Bloomberg. Potencial de valorização a 2 de Julho de 2008
1 comentário:
De celulares a 18 de Agosto de 2008 às 02:37
muy bueno el blog
felicidades

Comentar post

Pesquisa Carteira

Arquivos

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags