Terça-feira, 8 de Julho de 2008

Gestores de fundos de investimento às cegas

Às cegas. Foto: sparkiegNo mínimo preocupante é como se pode classificar a conclusão de um recente estudo desenvolvido pela KPMG sobre a gestão dos fundos de investimento geridos na América do Norte, Europa Ocidental e na região da Ásia do Pacífico.
Segundo a empresa de auditoria e consultoria, 40 por cento dos profissionais que gerem os mais prestigiados fundos de investimento à venda no mercado revelaram que compraram produtos para os quais não têm qualquer estrutura de avaliação dos seus riscos. Sobretudo quando se trata do investimento em produtos complexos. Se 39 por cento dos gestores entrevistados pela KPMG revelaram que nos próximos 2 anos pretendem aumentar a exposição do portefólio dos fundos que gerem a produtos derivados, o estudo também concluiu que 20 por cento destes profissionais não têm na sua equipa qualquer especialista com experiência relevante na avaliação de produtos derivados nem em produtos estruturados, e apenas 42 por cento dos gestores revela que é capaz de quantificar completamente a exposição da sua carteira a estes instrumentos financeiros. Analisando estes números verifica-se que grande parte dos gestores de fundos de investimento andaram a comprar produtos que não percebiam. A razão deste facto prende-se por "as equipas de gestão dos fundos de investimento, em certa medida, não terem conseguido acompanhar o crescimento da sofisticação da indústria", conclui o estudo. O bom de tudo isto é que, segundo o relatório da KPMG, a explosão da crise do crédito de alto risco nos EUA veio reduzir o apetite da maioria dos investidores em produtos complexos.
Se o senso comum diz que quando não se sabe o melhor é deixar o assunto com os profissionais, talvez seja preferível pensar duas vezes antes de colocar o seu dinheiro nas mãos dos "especialistas". Para evitar ser apanhado de surpresa comece por ler com atenção o prospecto do fundo que pretende subscrever. Neste documento irá encontrar toda a informação sobre a sua política de investimento. Além disso, não descure de recolher informação sobre o passado do profissional que vai gerir o seu dinheiro.
Se então ficar convencido da qualidade do fundo e da equipa de gestão, compre algumas unidades de participação. Mas com isto não significa que a sua tarefa acaba aqui. Não deixe de acompanhar a evolução do fundo e vá consultando trimestralmente o seu prospecto para tomar conhecimento se houve alguma alteração nos príncipios da gestão. Se por algum motivo, por exemplo, a estratégia de investimento do fundo mudar ou o próprio gestor seja substituído, talvez seja boa altura para ponderar a venda das unidades de subscrição. Luís Leitão
tags:

Pesquisa Carteira

Arquivos

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags