Sexta-feira, 11 de Julho de 2008

Fundos geridos por equipas têm custos mais baixos

Yufeng Han. Foto: ArturNa indústria dos fundos de investimento há uma panóplia quase infindável de diferentes produtos, mas se resumirmos o foco da análise em termos da gestão, só temos duas categorias: os fundos que são geridos individualmente e os fundos geridos por equipas. E qual dos dois conseguirá obter os melhores resultados? Para responder à questão, a Carteira entrevistou Yufeng Han, investigador da Tulane University, nos Estados Unidos da América, à margem da conferência “Nova Annual Finance Conference”, promovida pela ISCTE Business School. “A tendência é para existirem mais fundos geridos colectivamente, mas as conclusões demonstram que estes não rendem mais do que os fundos geridos individualmente”, explica o responsável de ascendência asiática.
Em termos quantitativos, diga-se que o marketing dos fundos de investimento tende a enfatizar a gestão por equipa em vez de destacar um só gestor, já que se verifica que os fundos geridos por equipas tendem a atrair mais clientes do que os fundos geridos por um único profissional. Mas em termos qualitativos, os resultados indicam não haver diferenças no desempenho entre as duas estruturas de gestão. Ainda assim, há características distintas a apontar: “Os fundos geridos por equipas são menos voláteis e apresentam custos mais baixos”, refere Yufeng Han, acrescentando que os mesmos “têm transacções mais genéricas, carteiras mais diversificadas, com maior peso nas empresas de maior capitalização e em acções 'momentum'”.
Já os fundos geridos individualmente mostram uma apetência especial por investimentos mais flexíveis e mais excêntricos, ao passo que nos fundos colectivos “é mais difícil sacar performance individual do gestores”, explica o investigador. Daí, acaba por ser natural que as estruturas de gestão individual sejam mais atractivas para os gestores mais seniores e com melhores capacidades, enquanto que os colectivos beneficiam da força da estrutura e, graças ao trabalho em equipa, conseguem igualar o desempenho dos individuais.
Ora, se levarmos em linha de conta as características principais dos fundos geridos por equipas, que são menos voláteis, apresentam uma estruturas de custos mais baixa e obtêm um desempenho semelhante ao fundos geridos por apenas um profissional, vulgo one man show, não há dúvidas que quando chegar a hora de meter o seu dinheiro a render num qualquer fundo de investimento, deve averiguar primeiro quais são as mãos que lhe vão mexer. E quanto mais forem, em princípio, melhor! Diogo Nunes
tags:

Pesquisa Carteira

Arquivos

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags