Terça-feira, 22 de Janeiro de 2008

Sociedades Com Problemas Realmente Graves

Fábricas de CréditoAntes vendiam carros, motos e televisões a pronto pagamento. Agora são vítimas dos créditos que dão aos consumidores. Já não se compram carros a pronto, mesmo que tenha dinheiro para isso: se for a um concessionário Ford terá um bom desconto ou umas jantes de liga leve se optar por comprar a crédito. O negócio da Ford Motor, o terceiro maior fabricante automóvel, já não é apenas vender carros. É bastante mais lucrativo vender um carro a crédito (a uma taxa anual perto de 10 por cento) do que receber o dinheiro mal o veículo saia da loja. É por isso que, enquanto a unidade automóvel da Ford apresenta prejuízos consecutivos, a divisão financeira gera lucros – pelo menos até haver dinheiro no bolso dos condutores. A crise do crédito imobiliário dos Estados Unidos da América está rapidamente a alastrar-se às outras dívidas. Desse modo, os accionistas da Ford têm de pensar duas vezes antes de ficarem satisfeitos com o peso do negócio financeiro do grupo norte-americano.
A Ford não está sozinha. A General Motors, dona da Chevrolet e da Opel, a Honda e até a Harley-Davidson, a fabricante das míticas motos, estão bastante dependentes das vendas a crédito, em particular nos EUA. Até a Sony está a vender maciçamente televisores planos e Playstations 3 a crédito. No último ano, a Sony Financial teve duas vezes mais lucros que a divisão de cinema do grupo, responsável por filmes como "O Código Da Vinci" e "Casino Royale". E não é preciso vender directamente aos consumidores para depender do crédito: a Deere, que fabrica tractores agrícolas, e a Caterpillar, conhecida pelas suas máquinas de terraplanagem e equipamento pesado, são grandes fornecedores a crédito. David Almas

Pesquisa Carteira

Arquivos

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags