Segunda-feira, 21 de Julho de 2008

Há saldos na bolsa!

SaldosA época de saldos já chegou às prateleiras das lojas um pouco por todo o país, mas, devido às promoções anteriores, não é fácil encontrar bons produtos a preços baixos. Na bolsa é o contrário: depois dos principais índices terem caído mais de 20 por cento ao longo do último ano, encontrar acções baratas não é uma tarefa muito difícil.
Porém, para não comprar gato por lebre, a Carteira compilou as recomendações dos analistas e encontrou 4 apostas nacionais e 4 acções estrangeiras prontas a valorizar, mal passe o mau ambiente no mercado. Os analistas estão confiantes que estes 8 títulos valem muito mais do que o preço a que se compram na praça financeira. São verdadeiros saldos bolsistas! David Almas
 
Boas compras
Os analistas dizem que estas são as melhores acções para comprar agora
Empresa Preço Preço-
-alvo
Bolsa Que dizem os analistas
Portugal
Semapa 7,61€ 12,05€ Lisboa Alimentada pelo crescimento de Angola e da Tunísia
Sonae Indústria 2,61€ 7,69€ Lisboa Tem um potencial de valorização de quase 200%
Altri 2,35€ 4,45€ Lisboa Ficou barata após separação da F. Ramada
Galp Energia 11,30€ 17,88€ Lisboa A taxa Robin dos Bosques é só ligeiramente negativa
Estrangeiro
Petrobras 30,29€ 47,94€ Madrid, Nova Iorque É a terceira maior dona de reservas de petróleo e gás
Companhia Vale do Rio Doce 15,98€ 28,17€ Madrid, Nova Iorque, Paris Tem uma posição dominante no ferro e no níquel
United Technologies 40,44€ 51,95€ Nova Iorque Apresenta resultados muito estáveis
Coca-Cola 31,57€ 39,86€ Nova Iorque Continua a ultrapassar as expectivas
Fonte: Bloomberg. 18 de Julho de 2008
Quarta-feira, 26 de Março de 2008

Acções unânimes entre analistas

Mais recomendadasUns dizem que o mercado recuperará depois do Verão. Outros avisam que será no curto prazo. A Carteira não sabe quando será que as acções retomarão a subida, mas sabe que isso acontecerá mais tarde ou mais cedo. Por isso, se é um investidor de longo prazo, o melhor é ter alguns títulos no bolso.
Já se leu neste blogue que é preciso ter cuidado com as recomendações dos analistas, mas é difícil não os ouvir quando há unanimidade e potenciais de valorização de 3 dígitos. Por isso, procurámos as acções cotadas na bolsa lisboeta que apenas receberam recomendações de compra desde o início do ano (pelo menos 3) e que têm um potencial de valorização superior a 30 por cento face aos preços-alvo atribuídos pelos especialistas. Encontrámos 4 ideias de compra: Sonae Indústria, Espírito Santo Financial Group, Semapa e Cimpor. David Almas
Sexta-feira, 21 de Março de 2008

Cuidado com as recomendações dos analistas

EnronAs recomendações proferidas pelos analistas sobre as acções das empresas que acompanham são um dos instrumentos que muitos investidores têm em conta nas suas posições accionistas. Afinal, estes agentes do mercado são especialistas, profissionais na avaliação de empresas, com acesso a uma vasta quantidade de informação que lhes permite tirar conclusões quanto ao futuro de uma empresa que o pequeno investidor não consegue. Mas será esta uma estratégia sensata? A julgar pelo dito popular "a sobeja confiança faz desfalecer nas obras", parece que não. Que o digam os ex-accionistas da Enron, que até pouco tempo antes de abrir falência, em 2001, tinha todos os analistas a recomendarem a compra das suas acções. A justificação é dada por Jim Chanos, presidente da Kynikos Associates, em "Enron: The Smartest Guys in the Room", um documentário sobre a ascensão e a queda da Enron: "Os analistas recebiam, rotineiramente, grandes bónus da banca de investimento se trouxessem negócios." Foi o caso do Merril Lynch, que depois de demitir John Olson, analista do banco norte-americano e um dos poucos cépticos quanto ao futuro da Enron, acabou por receber, pouco tempo depois, 2 trabalhos da Enron para a banca de investimento avaliados em 56 milhões de euros.
Será que situações como estas ainda ocorrem hoje? A contar pelo Código de Conduta do Analista Financeiro, em vigor desde Julho de 2003, os investidores não deverão temer situações destas: "A conduta profissional do analista financeiro deve pautar-se por rigorosos princípios de honestidade, integridade, dignidade, imparcialidade, prudência, correcção, justeza e diligência profissional". Porém, James Westphal, da Universidade do Michigan, e Michael Clement, da Universidade do Texas, autores do estudo "Sociopolitical Dynamics in Relations Between Top Managers and Security Analysts", depois de entrevistarem milhares de analistas de 2001 a 2003, concluíram que cerca de dois terços dos especialistas admitem receber favores das firmas das quais emitem recomendações. Mas há outros que preferem dar dinheiro a ganhar aos intermediários financeiros. É o exemplo de alguns analistas da Fidelity Investments, em que se inclui o lendário gestor e vice-presidente da Fidelity Peter Lynch, que foram acusados de receberem "ilegalmente" presentes de sociedades corretoras num valor superior a 1 milhão de euros. Segundo a SEC, entidade que regula os mercados financeiros norte-americanos, entre as oferendas contam-se viagens às Bermudas e ao México, entradas para eventos desportivos, como o torneio de ténis de Wimbledon, o troféu de golfe Ryder Cup e a final do campeonato de futebol norte-americano Super Bowl. No entanto, para não levar a investigação mais adiante, a Fidelity chegou a acordo com a SEC e acabou por pagar uma multa de 5,26 milhões de euros para que o caso fosse encerrado. Luís Leitão

Pesquisa Carteira

Arquivos

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags