Quinta-feira, 8 de Maio de 2008

Poucos lucros olímpicos

Logo Pequim 2008Mesmo com a delicada questão do Tibete a atrapalhar a marcha da tocha olímpica no seu longo percurso até Pequim, os Jogos Olímpicos deste Verão vão mesmo acontecer. Porém, os investidores que procuraram antecipar a maior manifestação desportiva mundial, comprando títulos das empresas que, supostamente, seriam as maiores beneficiadas com o evento, andam por esta altura a fazer contas à vida. Como reza a agência Bloomberg, as 23 empresas seleccionadas há um ano e meio pela Macquarie Group tendo como lógica que os resultados dariam um pulo com as Olimpíadas, estão a recuar em 2008 mais de 20 por cento, ao passo que o Hang Seng Entreprises Index, índice de referência, desce uns mais modestos 12 por cento.
Claro que não se pode esquecer que as "acções olímpicas" cresceram 69 por cento em 2007, acima dos 56 por cento acumulados pelo índice de referência, ou seja, o balão dos ganhos encheu até rebentar. Mark Mobius, gestor de fundos da Franklin Templeton, considera que "as empresas que estão relacionadas com os Jogos Olímpicos subiram apenas com base no evento, sem terem fundamentais sólidos", acrescentando que não adquiriu nenhum destes títulos porque "os preços subiram muito rápido e muito alto".
Algumas das empresas que compõem o cesto olímpico são a Air China, Beijing Capital International Airport e Beijing North Star e, apesar da hecatombe dos primeiros meses de 2008, Tim Rock, o estrategista da Macquarie em Hong-Kong que foi o responsável pela criação do cabaz das acções olímpicas, acredita que os títulos vão recuperar. "Os papéis dos sectores turístico e imobiliário, que vão beneficiar da procura dos Jogos Olímpicos, vão ter um comportamento melhor do que a maioria do mercado chinês, quando melhorarem as dinâmicas gerais."
As Olimpíadas mais polémicas das últimas décadas até podem abrir boas oportunidades de negócio (quem acreditasse no cesto olímpico divulgado no final de 2006 tinha ganho quase 70 por cento em apenas 12 meses), contudo, quem só entrasse neste "jogo" um ano depois estaria por esta altura a perder mais de 20 por cento em pouco mais de 4 meses.
Finalmente, quem tiver fé no reacender da chama olímpica, pode até aproveitar os fortes recuos deste ano para entrar nos títulos imediatamente e, quem sabe, chegar ao final do certame que termina a 24 de Agosto com uma medalha de ouro ao pescoço! Diogo Nunes
Quarta-feira, 5 de Março de 2008

Nasdaq à chinesa

Um possível logo para o futuro segmento da bolsa chinesa.No culminar do enorme esforço feito nos últimos 2 anos pelo governo chinês no sentido de dinamizar o mercado de capitais – com numerosas medidas que fomentaram a liquidez e deram maior acessibilidade às cotadas do país de Mao –, as autoridades do gigante asiático querem agora abrir um novo espaço bolsista dedicado às empresas chinesas recém-criadas.
A solução anunciada pelo primeiro-ministro, Wen Jiabao, passa pelo lançamento de um segmento bolsista de características semelhantes ao famoso Nasdaq. O objectivo é possibilitar a dispersão do capital em bolsa de pequenas e de médias sociedades que têm tido dificuldades em angariar financiamento devido à crise que se instalou no sector financeiro mundial e à qual os bancos chineses não conseguiram escapar.
A medida deverá provocar um aumento de ofertas públicas de venda de acções das PME chinesas. A partir do momento da estreia, o “Nasdaq chinês” permitirá um processo de admissão rápido e simples. Apesar de ainda não haver um prazo definido, o país que acolherá os próximos Jogos Olímpicos lançará um plano para consolidar o mercado local de dívida e poderá também permitir em breve a negociação de contratos futuros, pela primeira vez na história.
Um investidor luso que pretenda apanhar a boleia dos incentivos dados pelas autoridades chinesas ao desenvolvimento do mercado accionista, só tem uma coisa a fazer: adquirir acções de empresas do Império do Meio via ADR (acções estrangeiras cotadas numa bolsa americana) ou fundos de investimento. Dada a enorme distância que nos separa do outro lado do mundo, o melhor é mesmo ir pela porta dos fundos. Diogo Nunes

Acções xau-xau e fundos à Pequim
Vá através dos fundos ou, se preferir, estude as suas principais apostas
Fundo Rendibilidade
12 meses
Maiores activos Onde comprar
iShares FTSE Xinhua/China 25 26,49% China Mobile, China Life Insurance, ICBC, PetroChina Bolsa de Nova Iorque
UBS EF Greater China B 18,03% Sinopec, China Mobile, ICBC, CNOOC ActivoBank7, Banco Best
PowerShares Golden Dragon Halter USX China 16,70% China Mobile, PetroChina, China Netcom, China Telecom
Bolsa de Nova Iorque
CAAM Greater China 16,30% China Mobile, CCCC Group, CNOOC, Kerry Properties
ActivoBank7, Banco Best
Fonte: Bloomberg, sociedades gestoras. Rendibilidade em euros. 3 de Março de 2008

Pesquisa Carteira

Arquivos

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags