Quinta-feira, 10 de Abril de 2008

Pedir dinheiro emprestado para investir é mau negócio

Quando utilizado com conta, peso e medida, o crédito revela-se numa ferramenta bastante útil na gestão de um orçamento. É o caso da compra da casa e do carro através de empréstimos, que de outra forma seria quase impossível para a maioria dos bolsos das famílias portuguesas. O problema é quando o crédito se estende à compra de bens de consumo capazes de proporcionar momentaneamente um nível de vida em nada suportável à capacidade financeira e, pior, quando o dinheiro do banco é utilizado para investir. Nestes casos, a utilização do dinheiro alheio tem as mesmas consequências que brincar com o fogo durante uma tempestade: é mais provável que se venha a queimar do que se consiga aquecer. É o exemplo das linhas de crédito de Conta Margem do Banco Big e do Banco Best e o CrediBolsa do ActivoBank 7, que possibilitam a alavancagem dos seus investimentos tomando como garantia os activos do portefólio actual. Ou seja, os bancos ficam com os seus fundos de investimento, depósitos e acções como colateral e em troca disponibilizam uma linha de crédito com uma taxa de juro indexada à Euribor, mais um prémio que pode ir além dos 2 por cento.
Se à primeira vista estes produtos parecem uma oportunidade a não perder, sobretudo quando a liquidez falta e as oportunidades estão à mão de semear e prestes a fugir, depois de se fazer algumas contas a conclusão a que se chega é outra: contraindo hoje um crédito com uma alavancagem no valor de 2 vezes o montante de capitais próprios com uma taxa de juro igual à Euribor a 6 meses e com um spread de 1,5 por cento, o investidor só gera riqueza quando a sua carteira ganha mais de 5 por cento por ano. Mas quando o mercado segue no sentido simétrico, o resultado é desastroso: uma perda de 27 por cento. Significa que o efeito da "alavanca" é claramente desigual, pesando brutalmente nas contas do investidor quando o mercado cai e em nada proporcional à alavancagem quando o mercado sobe. Por isso, se não quer entrar nas contas do estudo da consultora Watson Wyatt, que aponta para que a próxima crise venha a ocorrer por um excessivo recurso à dívida nos investimentos, invista sempre apenas com o seu dinheiro. Luís Leitão

Sai caro investir com dinheiro dos outros
Quando o mercado sobe, os ganhos não são proporcionais à alavancagem e, em caso de perda, o efeito é total e agravado pelos juros
Rendibilidade esperadas Sem crédito Com crédito 2x
-15% -15% -57%
-10% -10% -42%
-5% -5% -27%
0% 0% -12%
5% 5% 3%
10% 10% 18%
15% 15% 33%
Simulação para um empréstimo de 2 vezes o valor dos capitais próprios com base na Euribor a 6 meses de 9 de Abril de 4,757 por cento mais um prémio de 1,5 por cento
Quarta-feira, 2 de Abril de 2008

Crédito com asas para 5 cidades

Citi dá-lhe asas!Hoje, a Primavera vestiu-se de gala e a subida das temperaturas já convida ao passeio. Se está a pensar em adquirir um cartão de crédito, porque não juntar o útil ao agradável? O cartão de crédito Citi Travel Pass assegura-lhe, desde já, 2 viagens à Europa. Numa campanha válida somente nas subscrições online até 30 de Abril e para novos clientes (os 350 000 portugueses que já têm cartão do Citi não podem aproveitar esta promoção), o banco norte-americano oferece 2 viagens para 5 destinos à sua escolha: Amesterdão, Barcelona, Londres, Madrid ou Paris. Para tal, basta subscrever o referido produto e efectuar compras de valor igual ou superior a 100 euros com o cartão Citi Travel Pass até 2 meses após a sua aprovação. A promoção não inclui taxas de aeroporto e demais complementos. A viagem é válida por um ano e quem já aproveitou gostou e recomenda.
A anuidade é grátis no primeiro ano e passa a 20 euros nos anos seguintes. Contudo, com a utilização do cartão num montante anual igual ou superior a 3000 euros poderá garantir a oferta das anuidades seguintes. A taxa de juro associada ao cartão é de 20,23 por cento. Muita atenção neste ponto: por defeito, o cartão vem com a opção do valor mínimo de pagamento igual a apenas 3 por cento do saldo em dívida mais juros cobrados, no mínimo de 9 euros. Assim, se pretender aproveitar o período de crédito grátis (sem juros) de até 50 dias, tem de pedir para alterar a modalidade de pagamento para os 100 por cento logo na altura da rubricação do contrato.
Além da viagem com a sua cara-metade para algumas das mais consagradas cidades europeias, saiba ainda que acumula pontos pela utilização do cartão – por cada euro gasto em compras, receberá um ponto e a partir dos 13 000 pontos (tem 5 anos para acumular) pode viajar para qualquer destino europeu à sua escolha. Beneficia ainda de um seguro de assistência em viagem, bem como de um seguro de protecção de compras e de compras online. Ganha também descontos em parceiros do Citi e pode abastecer a sua viatura à vontade, já que este é dos poucos cartões cuja utilização não paga taxa de abastecimento de combustíveis. Faça clique e faça as malas! Diogo Nunes

Pesquisa Carteira

Arquivos

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags