Terça-feira, 24 de Junho de 2008

Taxa de juro: de inimigo a aliado

Jean-Claude Trichet. Foto: Bloomberg NewsNum país em que o endividamento é a parte fraca das finanças familiares, é natural que o aumento da taxa de juro de referência da Zona Euro seja visto como um drama. No entanto, a subida do preço do dinheiro também pode ser uma oportunidade para ganhar dinheiro. É esta a proposta que fazem 2 fundos cotados da gama x-trackers do Deutsche Bank: capitalizar as poupanças à taxa Eonia, que resulta da média ponderada de todas as operações de concessão de crédito efectuadas por 43 bancos europeus no mercado diário; ou à homóloga norte-americana. Dada a conjuntura, é uma ideia interessante. Com os elevados preços das matérias-primas agrícolas e energéticas a semear inflação pelo mundo, a única solução das autoridades monetárias para conter a subida dos preços é aumentar a taxa de juro.
Segundo o jornal The Washington Post, o presidente da Fed, Ben Bernanke, "não tem planos" para subir as taxas de juro, o que dado o nível actual da taxa de juro norte-americana, 2 por cento, e o risco cambial, tornam o investimento no db x-tracker Fed Funds Effective Rate menos apetecível. Porém, em relação à Zona Euro, o cenário é bem diferente. Primeiro, o BCE tem como meta manter a inflação controlada nos 2 por cento e esta atingiu em Maio o valor mais elevado desde 1992 (3,7 por cento). Segundo, porque Jean-Claude Trichet ameaçou tomar medidas já na reunião de 3 de Julho. Aliás, para Rainer Guntermann, economista do Dresdner Kleinwort, "não ficaríamos surpreendidos se o BCE subisse a taxa de juro para 4,5 por cento até ao final do ano". Actualmente, a taxa de referência está nos 4 por cento, mas os contratos de futuro sobre a Euribor a 3 meses para entrega em Junho de 2009 dizem que este indexante deverá cotar nos 5,20 por cento dentro de 1 ano, o que torna o db x-trackers Eonia Total Return Index, que ganhou 3,29 por cento no último ano, num aliado para ganhar com a anunciada subida do preço do dinheiro na Zona Euro. Joaquim Madrinha
Segunda-feira, 16 de Junho de 2008

6 dicas para poupar tempo e dinheiro

A internet é um mundo recheado de informação. À distância de um clique rapidamente se consegue saber o que se passa do outro lado do mundo. Hoje, a dificuldade não é encontrar informação mas sim boa informação.
Porque no poupar é que está o ganho, a Carteira foi à procura de alguns sítios que o ajudarão a desanuviar o orçamento familiar, para que no final do mês não tenha mais que voltar a enfrentar uma nova situação de desenrasque.
Enquanto o Carteira.pt não está no ar, o blogue da sua revista de finanças pessoais é um bom ponto de partida para poupar e ganhar dinheiro. Como complemento, estes são alguns dos sítios na web que poderá recorrer para  conseguir poupar na água, na luz, no combustível e na conta do telefone. Luís Leitão
  
GadgetsElectrónica e electrodomésticos
Da próxima vez que tiver de comprar um novo frigorífico, um microondas, uma televisão, um computador ou o novo gadget da moda já não precisa de perder tempo a correr de porta-em-porta pelas lojas da sua zona ou por vários sítios à procura do preço mais baixo. Através de um clique, o Kuantokusta e o Izideal fazem esse trabalho por si. Basta escrever o que procura e em segundos fica a saber qual a loja que está a praticar o preço mais económico. É lógico que ambos os sítios não têm todas as lojas do país, mas apresentam uma grande variedade. Encare a sua consulta como um princípio para a próxima compra de aparelhos electrónicos e electrodomésticos.
 
Posto de abastecimento. Foto: André di LuccaCombustíveis
A subida do preço do barril de petróleo nos mercados internacionais tem levado por arrasto os preços da gasolina e do gasóleo. Se os consumidores pouco podem fazer para baixar o preço dos combustíveis, o Mais Gasolina ajuda a poupar alguns euros na hora de encher o depósito, identificando qual a gasolineira da sua zona que está a praticar o preço por litro mais em conta. Por exemplo, no município de Lisboa, o posto de abastatecimento da Esso na Quinta das Palmeiras é o que está a praticar o preço mais em conta da gasolina sem chumbo 95, 1,439 euros por litro, mas para os automobilistas lisboetas que conduzem veículos a diesel, a escolha mais económica recairá sobre o posto do Jumbo de Alfragide: 1,324 euros por litro de gasóleo. No caso do Porto, é a gasolineira da Cepsa de Valongo que comercializa a gasolina sem chumbo 95 ao mais baixo preço, 1,419 euros, e o posto da Feira Nova de Guilhufe o que vende o litro de gasóleo mais económico: 1,310 euros.
 
On/Off. Foto: Andrew HuffEnergia
Poupar nos recursos não ajuda apenas o ambiente. Ajuda também a sua carteira.  Por exemplo, se instalar redutores do fluxo da água nas torneiras da sua casa, está ao mesmo tempo a reduzir a quantidade de água gasta como ainda poupa, em média, 15 euros por ano. Também na electricidade, com uma simples substituição de 5 lâmpadas normais por 5 lâmpadas fluorescentes consegue poupar, em média, 50 euros por ano e evitar a emissão de 200 quilogramas de CO2. Estas e outras dicas que o ajudarão a poupar uns euros na factura doméstica estão presentes no Portal do Cidadão e no Guia da Poupança da EDP. Para conseguir uma verdadeira poupança energética não deixe também de ir até ao sítio EuroTopten para consultar os electrodomésticos e os automóveis mais eficientes no mercado.
 
Telefone. Foto: cowfishTelefone
O telemóvel passou a ser um bem quase essencial no dia-a-dia da maioria dos portugueses. Segundo os dados da Anacom, a taxa de penetração dos cartões pré-pagos em Portugal, que representam cerca de 75 por cento do total de assinantes, ascendia a 129 por 100 habitantes no final do primeiro trimestre de 2008. Em relação aos gastos mensais, a Marktest revela que cada português gasta, em média, 25 euros com telemóvel. Para ajudar os consumidores a reduzirem a factura telefónica a Anacom lançou uma ferramenta que permite consultar e comparar os tarifários que estão em vigor, a nível nacional, para as chamadas de voz, mensagens escritas (SMS) e mensagens multimédia (MMS). Para quem prefira utilizar a rede fixa, a solução poderá passar por um serviço que utilize a teconologia voip, como o Skype, que apresentam, de forma geral, tarifários mais económicos que a maioria dos servidores nacionais para a rede fixa.
 
 
Livros. Foto: FaeryanCultura
Já não há desculpa para se poupar na cultura. Sobretudo em livros e em música. Facilmente se descarrega um álbum por 10 euros através da loja do iTunes e da Amazon.com dos seus artistas predilectos. Outra possibilidade é recorrer a uma rede peer-to-peer de músicas com licenças livres através da plataforma Jamendo. Na literatura também já não há desculpas para deixar de ler um bom livro. Através da oferta cada vez maior de livros gratuitos em formato de pdf disponibilizada pelo Google Book Search torna-se quase impossível não ler, pelo menos, alguma das grandes obras portuguesas como "Os Lusíadas", de Luís de Camões, a "Mensagem", de Fernando Pessoa ou a "Cidade e as Serras", de Eça de Queiroz. Os jornais também já disponibilizam grande parte dos seus conteúdos na internet de forma gratuita. No caso dos semanários "Sol" e "Expresso" é possível aceder integralmente às suas edições a partir de segunda-feira, no caso do "Sol", e de terça-feira, no caso do "Expresso". 
 
Férias. Foto: m o d eFérias
Para os mais distraídos, que voltaram a deixar tudo para a última, ainda vão a tempo de encontrarem boas oportunidades para uma férias relaxantes e ao mesmo tempo económicas. Na dormida para os viajantes mais aventureiros que não dispensam uma boa caminhada e carregar uma mochila às costas, não há problema, o Hostelworld é um sítio obrigatório, com estadias pelos 4 cantos do mundo desde 10 euros por noite. Para quem prefere arrendar uma casa, o  Rent-Holiday-Homes é uma alternativa às agências de viagens, oferecendo uma extensa lista de casas para arrendar, em Portugal e no estrangeiro, a preços convidativos. Para quem esteja a planear umas férias que começam num avião, uma pesquisa no Flycheapo e no Terminal A à procura do voo mais económico é indispensável. No Terminal A ainda  pode procurar pelo pacote de férias completo: voo, estadia e o aluguer do automóvel ao preço mais baixo.
Quarta-feira, 4 de Junho de 2008

Crianças revelam boas aptidões para a poupança

A temática da poupança anda na boca do mundo e são cada vez mais os portugueses que se preocupam em juntar um bom pé-de-meia para fazer face aos imprevistos que, por vezes, a vida reserva. Ora, à priori, falar em poupança, ainda que rime, não combina com criança, certo? Errado! De acordo com o estudo OmniTrends 2008, desenvolvido pela OmnicomMediaGroup, as crianças têm uma forte apetência para poupar, apesar de não desperdiçarem a oportunidade de fazer uma boa birra por “aquele” carrinho que está na montra da loja ou pela Barbie da moda! Não acredita? Então repare nos resultados apurados. Quando questionadas sobre o destino que dariam se tivessem uma grande quantia de dinheiro disponível, 66 por cento respondem que “guardariam o dinheiro no mealheiro ou no banco”.
A surpreendente resposta leva à seguinte conclusão dos autores do estudo: “Curiosamente, a emotividade e compulsão tradicionalmente associadas ao consumo das crianças parece dar lugar à racionalidade, planeamento e valorização do dinheiro disponível.” Diga-se que a verba não é tão insignificante como poderá imaginar, já que, em Portugal, 56 por cento das crianças entre os 7 e os 12 anos recebe mesada ou semanada, num montante que se aproxima dos 30 euros mensais. Isto significa que estes pimpolhos lusos gerem de forma directa cerca de 5,6 milhões de euros e mostram ser mais poupados do que grande parte dos seus pais. Exagerando um pouco, apetece dizer que vale a pena ponderar começar a entregar mensalmente o vencimento à guarda dos seus filhos, que se revelam gestores racionais e com queda para a poupança. Aliás, elas podem começar por estudar estes produtos. Parece brincadeira de criança, mas não é! Diogo Nunes
Terça-feira, 22 de Abril de 2008

Accumulator para todos

Paulo Pires, uma das caras do Accumulatoraqui dissemos que foi preciso fazer finca-pé para conseguir ler o prospecto simplificado do Accumulator Evolução, um produto cujo desempenho está indexado à perfomance de cestas de fundos de investimento. Esse problema acabou de desaparecer: a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, a autoridade competente na supervisão deste tipo de produtos desde Novembro de 2007, começou a compilar os prospectos simplificados no seu sítio. Basta ir à página dos seguros ligados a fundos de investimento, vulgarmente conhecidos por unit-linked, procurar pelo Accumulator e descarregar o ficheiro do prospecto. Depois pode confirmar que há uma comissão de subscrição de 1 por cento para aplicações até 25 mil euros e uma comissão mensal de gestão de 0,125 por cento.
Da próxima vez que tiver uma dúvida sobre um seguro indexado a fundos de investimento, consulte o sítio da CMVM para esclarecê-las. David Almas
Sexta-feira, 18 de Abril de 2008

Ganhe mais de 5% sem risco

PrivatBankAs Euribores estão a subir, o que significa que os depósitos a prazo praticados na Zona Euro devem começar a aumentar as taxas de juro. Já não é difícil encontrar depósitos que rendem mais de 3,5 por cento por ano, mesmo depois do fisco abocanhar os 20 por cento do rendimento. Contudo, há regiões do global, não muito longe, que oferecem taxas de juro bastante mais elevadas. Na Letónia, é possível contratar no mercado monetário uma taxa de juro bruta de 8 por cento numa aplicação de 12 meses!
Não precisa de viajar até Riga para fazer um bom depósito: basta ir aos Anjos, em Lisboa, à sucursal do banco letão PrivatBank contratar um depósito a 1 ano que lhe rende 5,46 por cento líquidos de impostos! Embora possa parecer perigoso, os depósitos são garantidos pelo Fundo de Garantia de Depósitos da República da Letónia até ao montante máximo de 20 000 euros por depositante. Além disso, o PrivatBank está na lista do Banco de Portugal das sucursais de instituições de crédito com sede na União Europeia.
"Conseguimos dar estas taxas porque aplicamos o dinheiro na Ucrânia, onde as taxas do crédito à habitação rondam entre os 11 e os 12 por cento", explica Alex Grynenko, vice-director da sucursal do PrivatBank, que também actua na Ucrânia, onde é o maior banco comercial.
O único risco desta operação é a inactividade: se não fizer uma operação por semestre, o banco cobra-lhe uma taxa de "manutenção de conta inactiva" de 5 euros por mês. David Almas
Sexta-feira, 11 de Abril de 2008

Corte no intermediário

Paulo Pires, uma das caras do AccumulatorFoi com alguma pompa e circunstância que a segurada Axa lançou o Accumulator Evolução, um seguro de capitalização indexado à performance de fundos de investimento. O Accumulator investe por si em vários fundos, seguindo uma estratégia mais conservadora ou mais agressiva, e garante-lhe o capital aplicado ao fim de cinco anos. Até celebrar os cinco anos, não há qualquer garantia, mas há liberdade de resgate.
Apesar dos muitos artigos escritos sobre o Accumulator, dificilmente o investidor interessado fica com toda a informação. Mesmo indo a uma loja Axa é preciso fazer finca-pé para conseguir um prospecto simplificado. Antes de recebê-lo fica a saber que os cabazes dos fundos ganharam entre 2,71 por cento e 11,92 por cento por ano nos últimos 5 anos. Só depois de ler o prospecto é que descobre uma comissão de subscrição de 1 por cento para aplicações até 25 mil euros e uma comissão mensal de gestão de 0,125 por cento, o equivalente a uma comissão anual de 1,49 por cento.
Depois de descontar os efeitos dos impostos e das comissões, o ganho dos cabazes oscila entre 0,69 por cento e 8,03 por cento por ano nos últimos 5 anos. Contudo, não convém esquecer que os últimos 5 anos foram muito positivos, especialmente para o mercado accionista. Não é de esperar que o forte desempenho se repita.
Será que vale a pena investir no Accumulate? A única vantagem do produto é a garantia de capital no final dos 5 anos. Porém, não vale a pena estar a pagar as comissões da Axa se sabe que é pouco provável que tenha de recorrer a essa garantia. Isto é, se está a pensar apostar nas opções mais conservadoras, mais vale optar por investir directamente em fundos: é muito pouco provável que perca dinheiro e não tem de pagar as comissões. David Almas
Terça-feira, 8 de Abril de 2008

Vantagens com 4 patas

Cão a dormir de barriga cheia. Foto: ZonepressQuando adoptamos um cachorro, sabemos à partida que vamos ganhar duas coisas para o resto da vida: um amigo inseparável e uma fonte de preocupações. Se quanto à primeira ninguém duvida que a fidelidade não tem preço, porque não tentar reduzir as dores de cabeça com os cuidados e a atenção constante que o novo membro da família exige?
A Eukanuba dá uma ajuda! E que pode ser muito útil, sobretudo, para quem se vê pela primeira vez nestas andanças de cuidar de um pequeno ser de 4 patas. Basta registar o seu cachorro online e a conhecida marca alimentar para cães oferece-lhe um pacote promocional que inclui: uma amostra de alimento Eukanuba Puppy para cachorro; um manual completo de cuidados gerais de saúde e nutrição denominado “O Seu Novo Cão”; um folheto com informação nutricional “Guia do Cachorro”; e uma carta de boas vindas com um vale de desconto de 5 euros.
Só tem que dispensar 5 minutos do seu tempo (aproveite enquanto o seu cachorro tira uma soneca entre refeições) para garantir a promoção, que lhe chegará a casa no prazo máximo de 10 dias após a inscrição da sua bola de pêlo. Depois, é só aproveitar as dicas que a Eukanuba lhe oferece de forma a fazer o seu cachorrinho ainda mais feliz! E quando chegar a hora de ir comprar a ração do bicho, ainda vai poupar 5 euros. Melhor, só se ensinasse o seu novo amigo a sentar, deitar, rebolar e... clicar! Diogo Nunes
Terça-feira, 19 de Fevereiro de 2008

Ricos “porcos”

Se ainda usa o porco de barro ou aquele esconderijo entre a cama e o colchão para guardar as pequenas poupanças que vai conseguindo fazer, está a fazer um mau negócio. Nestes “instrumentos de poupança”, o dinheiro, além de nem ganhar bolor, sofre o efeito da inflação. Sim, tal como a roupa sofre com as traças. Qualquer dia vai ao armário à procura daquela camisola que andou a poupar para uma ocasião especial e encontra uma "t-shirt".
Nos tempos que correm, combater o efeito que a inflação tem na poupança é tão importante como tomar o pequeno-almoço. Caso contrário, os efeitos de longo prazo na saúde do seu dinheiro podem ser nefastos. Basta pensar que, ao ritmo que o dinheiro está a perder valor – 2,9 por cento, nos 12 meses que terminaram em Janeiro, segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística –, uma aplicação a 5 anos num porco de barro dá um prejuízo de 15 por cento.
Para evitar este efeito erosivo do dinheiro, os aforradores devem ter as poupanças aplicadas num produto financeiro que pague um rendimento superior à da taxa de inflação. A solução pode passar pelos depósitos a prazo, mas terá de ter mais de 500 euros para começar. Se não tiver, eis alguns produtos de investimento de baixo risco ideais para substituir os produtos financeiros de prateleira. Joaquim Madrinha

Mealheiros de alto rendimento
Não o vão tornar rico, mas são bem melhores que o colchões no combate à inflação. Qualquer um destes produtos permite começar com pouco mais de 100 euros
Produto Rendibilidade
12 meses
Onde contratar A saber
Certificado de aforro* 2,81% CTT Os prémios permitem derrotar a inflação em ano e meio
SGAM FMM Euro F 2,96% ActivoBank7, Banco Best Vagoroso como um relógio suíço, mas sempre a subir
Sanpaolo Obiettivo Euro Breve Termine R 3,20% Banco Best Uma segurança, mesmo em tempos de incerteza para as obrigações
Fonte: Bloomberg, IGCP. Rendibilidades líquidas de impostos. (*) Taxa de juro anual líquida de acordo com a taxa de juro bruta estipulada para Fevereiro de 2008

Pesquisa Carteira

Arquivos

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags